Rockwell Sabreliner 65 em Belém

0 comentários
Um North American Sabreliner, (rebatizado como Rockwell Sabreliner 65) pousou no Aeroporto Internacional de Val de Cans, em Belém, na última semana. A aeronave, considerando todas as suas variantes, é um dos primeiros jatos executivos produzidos na história, tendo realizado o primeiro voo em 1958, há mais de 60 anos!
Utilizado como avião executivo civil e também em várias forças aéreas mundo afora, o Sabreliner 65 tem capacidade para 5 a 7 passageiros, podendo voar a até 39 mil pés, numa velocidade de 885 km/h e percorrendo até 4 mil quilômetros de distância.
A aeronave que pousou em Belém, o N651MK, é relativamente nova se comparada aos seus precursores, sendo fabricado em 1981, passou por diversos operadores antes de compor atualmente a frota da empresa americana My Jet Inc.
O jato, procedente do Fort Lauderdale Executive Airport, fez escalas em San Juan (Porto Rico) e Belém antes de pousar no seu destino final, o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. 
Confira os registros, por Diego Gomes:





Modern Logistics pela primeira vez em Macapá

0 comentários
Na madrugada desta terça pousou pela primeira vez em Macapá uma aeronave da companhia cargueira brasileira Modern Logistics. O avião, um Boeing 737-400F, de matrícula PP-YBA, cumpria voo de Brasília para Manaus, no entanto, o Aeroporto Eduardo Gomes, na capital manauara, estava fechado devido às más condições climáticas, assim como Santarém, primeira possibilidade de alternativa, restando à tripulação alternar para Macapá, onde pousou por volta das 4h da madrugada.


A saga do PP-YBA não parou por aí. Após o reabastecimento, a aeronave decolou rumo à Manaus para completar o voo, porém mais uma vez encontrou o SBEG fechado, retornado novamente à Macapá, onde pousou pouco antes das 7h da manhã.

Com a jornada de trabalho da tripulação prestes a ser excedida, a aeronave teve que passar o dia em Macapá, de onde somente decolou à meia noite de quarta feira, novamente para Manaus. Segundo informações não oficiais, a carga à bordo era de pintos.

A Modern Logistics, com sede em Campinas-SP, foi fundada em 2016 por executivos que fundaram a Azul Linhas Aéreas e recebeu a permissão para efetuar voos comerciais em Junho de 2017. Atualmente opera voos cargueiros regulares para destinos como Brasília, Recife, Fortaleza e Manaus e tem composta por 4 aeronaves Boeing 737, sendo dois da versão 300 (PP-YBC e PP-YBD) e dois da versão 400 (PP-YBA e PP-YBB).

Flight Report: Voando para Miami na Classe Executiva da Latam

0 comentários
Alguns meses atrás, em uma consulta despretenciosa na internet, vi que iriam acontecer dois shows que eu gostaria assistir, em datas próximas e na mesma cidade. Negociei no trabalho uma semana de folga, e o próximo destino já estava traçado: Las Vegas!



Logo comecei a busca de passagens, priorizando Azul e LATAM por oferecerem voos diretos de Belém para a Flórida, o que me permitiria ganhar um pouco de tempo, já que não tinha tanta margem pra "queimar". Ambas estavam com preço similar para as mesmas datas, mas o voo da Azul implicaria em um pernoite obrigatório em Fort Lauderdale na ida, já que chega na Flórida aproximadamente 20h30 e restam poucas opções de conexão para o mesmo dia. Em contrapartida, o voo da LATAM pousaria em Miami pouco depois das 10h da manhã, me dando o resto do dia inteiro para arrumar alguma conexão para Vegas. No voo da volta, as duas mais uma vez se assemelham, saindo da Flórida à noite e chegando em Belém durante a madrugada, não faria tanta diferença assim. Itinerário fechado, ida e volta no voo direto da Latam, uma semana aproveitando o melhor do deserto americano.

Aproveitando que o voo seria realizado pelo Boeing 767-300ER, resolvi emitir ida e volta na classe executiva e já chegar descansado na terra do Tio Sam, já que o voo decolaria de madrugada e eu não dormiria muito antes do voo. Como voaria em classe diferente nos trechos domésticos, tive que emitir os bilhetes em compras distintas. Com a Latam emiti o BEL-MIA-BEL, e com a American o MIA-DFW-LAS-LAX-MIA. A parada em Dallas na ida foi estratégica, pousaria um pouco depois do voo direto para Vegas, mas em compensação voaria no 777-300ER, que ainda não tinha sido riscado da minha lista de aeronaves a serem voadas antes de morrer. Passagens e ingressos comprados, só restava esperar o dia da viagem.

Cerca de uma semana antes do meu embarque, o furacão Dorian começou a ganhar força e seguiu rumo à Flórida e Bahamas, o que antes era uma tempestade subiu rapidamente para um furacão de categoria 5. Recebi um email da American alertando sobre possíveis atrasos e cancelamentos, além de oferecer remarcação de passagem sem custo. Fiquei bastante preocupado, uma vez que as previsões iniciais eram de que o furacão entraria na Flórida por Miami, justamente na véspera do voo. Caso isso ocorresse, provavelmente meu voo seria cancelado e o restante da viagem comprometido.

CASA CN-235 da Força Aérea Francesa em Macapá

0 comentários
Esteve no Aeroporto Internacional de Macapá na tarde desta quinta (05) um CASA CN-235, da Força Aérea Francesa. A aeronave, procedente de Caiena, pousou às 15h15 e decolou de volta ao território francês às 18h.
A visita do "COTAM", como são designadas as aeronaves da Força Aérea da França, ocorre anualmente às vésperas do feriado nacional de 7 de setembro, para o transporte de militares franceses que desfilam em Macapá nas comemorações da independência do Brasil.
Confira os registros:


Movimentação militar em Macapá

0 comentários
A semana começou movimentada no Aeroporto Internacional de Macapá em relação  à aeronaves militares. Por conta da inauguração da Agência da Capitania dos Portos no Oiapoque, pousaram no SBMQ dois helicópteros Helibrás UH-12 Esquilo da Marinha e um Embraer 120 e um Embraer 135, da Força Aérea Brasileira, foram registrados. Confira as fotos, por Henrique Barbosa:

PR-AJE: O A320ceo da Azul em Macapá

0 comentários
Pousou neste sábado (31) no Aeroporto Internacional de Macpaá, pela primeira vez durante o dia, o A320ceo de matrícula PR-AJE (CN 6050), da Azul Linhas Aéreas. 
A aeronave, batizada como "Céu, Sol, Sul, Sou AZUL", é mais um ex-Avianca (PR-ONW), é a segunda da série CEO (Current Engine Options) a operar pela Azul. Anteriormente, o PR-AJB operou na companhia por alguns meses.
O voo para Macapá, cumprindo a etapa entre BEL e MCP dos voos AD4186 e 4187, foi o segundo da aeronave para a capital amapaense. Na semana passada, a aeronave cumpriu o voo noturno da companhia para a cidade. 
Diferentemente dos A320neo da Azul, o AJB não ostenta a pintura completa da companhia, tendo uma espécie de pintura "albina", sem a tradicional barriga azul. Confira os registros de ontem: