[FLIGHT REPORT]: De Belém a Manaus em um dia Azul

        Alô spotters de plantão, neste fim de ano experimentei pela primeira vez a sensação de voar pela Azul, e também pelos jatos da Embraer. Com as festas de final de ano, nada como uma viagem para fechar com chave de ouro, e Manaus foi o destino escolhido desta vez. Um rápido passeio de três dias, mas que iria proporcionar excelentes momentos. 

         Com as passagens adquiridas pelo preço de 325 reais o trecho, e decolando às 12:12 do SBBE no dia 28 de dezembro, só me restava aguardar. Chegado o dia da viagem, ceu coberto de nuvens, clima típico para o final da manhã em Belém. Atrasado, às 11:20 chegava ao aeroporto. Sem nenhuma bagagem para despachar, me dirigir ao totem de auto-atendimento para efetuar o check-in, sem filas, ao contrário dos balcões. Em dois minutos já possuía o cartão de embarque em mãos, com início do mesmo previsto para 11:42.
 
        
  O Val-de-Cans encontrava-se tranquilo naquele momento, exceto pela fila no check-in da Azul, que estava despachando diversos voos, entre eles para Macapá, Altamira, e o meu para Manaus. Pátio tranquilo, com a presença de um A320 da TAM, dois E-Jets da Azul e alguns ATRs da mesma.

          Ao chegar na sala de embarque, e mais alguns minutos sentado, aguardando a chamada, no horário indicado no cartão foi iniciado o embarque do voo 2805, que naquele dia seria operado pelo Embraer 195 de matrícula PR-AXD, batizado de ''Azulão'' e recebido de fábrica no dia 25/02/2012, com pouco menos de dois anos de uso.
                                                             Lucas Tavares - Plane Spotters.net
         Procedimento padrão, começando pelas prioridades (que na ocasião a fila era maior do que a do restante dos passageiros), logo após, as fileiras de 15 a 30, e por último, de 1 a 14. Pelo número de pessoas aguardando, este felizmente pra mim não seria um voo lotado. Ao embarcar na aeronave pela primeira vez, a sensação é de que ela é menor do que as que são operadas pelas duas maiores companhias aéreas brasileiras (e realmente é), possuindo a configuração 2-2, que por sinal é bem mais confortável do que a 3-3 ofertada pela concorrência.
Embarque sendo realizado no portão 05
Embarque sendo realizado no portão 05
                                                            Passageiros para o voo 2805
          Fui recebido com muita cortesia pela chefe de cabine, que na entrada perguntava se aceitaríamos os fones de ouvido, sinal de que teríamos PTV neste voo.
          Ao me acomodar no assento 21D, escolhido no momento da compra da passagem, foi possível sentir o quanto espaçoso era o E-Jet da companhia, que mesmo sendo menor, parecia muito maior do que um 737 da GOL, ou um A320 da TAM, os assentos em couro e o pitch prometiam proporcionar excelentes duas horas de viagem para Manaus.
Espaço generoso para esticar as pernas
Aeronave sendo preparada para mais um voo
          O bolsão da poltrona continha uma revista da Azul, cuja capa apresentava Daniela Mercury, que por curiosidade teve recentemente uma aeronave da companhia batizada com o seu nome. E o Safety Card, que estava avariado, ponto negativo para os passageiros que mesmo com entretenimento à bordo parecem não ter o que fazer e acabam estragando um importante item de segurança.
Propaganda sendo exibida durante o embarque
Gulfstream 200 postado recentemente no blog
Revista que também estava rasgada
           Ao explorar a TV, com programação da SKY que a Azul oferece, é possível ver que ela agrada à todos, são canais que vão desde filmes à desenhos animados, passando inclusive pela programação local de emissoras abertas e canais de notícia, como Band News e CNN.
Programação local
          Com o embarque finalizado e portas fechando às 12:04, após alguns minutos assistindo à programação local e com a poltrona do lado vazia, o voo aparentava ter uma ocupação de cerca de 60%. O push-back foi iniciado às 12:06, com speech de boas-vindas da tripulação guiada pelo Comandante Carlos Augusto.
AXD no push
          Alinhado na taxiway, foram acionados os flaps para decolagem, ao passo em que dentro da cabine, o speech com os procedimentos de segurança eram realizados pela equipe. O áudio das televisões é cortado durante a fala dos comissários.
          Às 12:09 o táxi foi iniciado, e neste momento deu para reparar o silêncio dos motores. Alguns minutos depois, às 12:11, o comandante comunica a autorização da decolagem, e posteriormente ingressamos na cabeceira 06, pista recentemente recapeada.
Pista novinha para receber os wides de 2014
          No horário certo, 12:12, a aeronave começava sua corrida. Os motores GE CF-34 proporcionaram um arranque suave e uma rolagem silenciosa. No mesmo minuto, a aeronave deixava o solo e era possível visualizar a cidade pela janela.
Potência nos motores
Logo após a decolagem
Região da Augusto Montenegro
                                 
Com uma curva à esquerda, entrávamos na proa rumo à Manaus
Ilha de Outeiro
Sobrevoando a Baía
Muitas nuvens, sem turbulência
          Sobre a Baía do Guajará a aeronave já se encontrava a mais de 6.500 pés de altura, com uma velocidade de aproximadamente 341 milhas, como apontava o mapa de voo.
Visão da janela nas condições de voo
Área extensamente desmatada
Sobrevoando o Marajó
          Durante a subida, 12:45, foi anunciado o serviço de bordo, que consistia em snacks que os clientes podiam pegar à vontade das cestas oferecidas pelas comissárias. As bebidas são anotadas logo antes do serviço.
Snacks à vontade
Os famosos aviõezinhos
Estabilizado a 38.400 pés
Tamanho espaço possibilitava cruzar as pernas, inclusive
          13:40, foi iniciada a descida rumo à Manaus, com o speech do Comandante, que tratou de informar as condições metereológicas no local de pouso, nublado e com chuvas esparsas, temperatura de 27 graus nesta tarde de sábado.
O clima lá embaixo não parecia tão bom
Atravessando a primeira camada de nuvens
Spoilers para descer mais rápido
A PTV indicava a proximidade de Manaus
Já próximo a nuvens carregadas
Um arco-íris fazendo parte do cenário
Cortando a segunda camada de nuvens, sem turbulência
Logo após foi possível ver os arredores da cidade, já com os flaps acionados
Com o ''nariz'' abaixado para perder altitude
Sobrevoando o enorme Rio Negro
Aproximação sobre o bairro da Ponta Negra
                    Exatamente às 13:00, horário local, o AXD pousou na pista 10 do aeroporto Eduardo Gomes, 17 minutos antes do previsto. Após uma frenagem suave, assim como o toque, o 2805 livrou a pista 10.
Pouso suave em MAO
Spoilers. Desta vez são para frear a ave
Ingressando na taxiway
Flaps recolhidos
Cemitério de Manaus. Aeronaves que já voaram muito nos ceus do Brasil e vão deixar saudades
Pátio de carga, 2 767 da LATAM
Companheiro de pátio PT-PTR
           Com um speech da chefe de cabine desejando feliz ano novo, saúde, paz e mesa farta, encerra-se mais um voo operado pela Azul. 14:03, o Embraer 195 tinha seus parking brakes acionados, e três minutos depois já me dirigia à Sala de Desembarque. O SBEG estava em seu horário de pico, com 9 aeronaves em solo, sendo um 773 para Guarulhos e um A330 para Miami, ambos da TAM. Logo, o desembarque foi efetuado pela remota.
Aeroporto lotado e com algumas pontes de embarque inoperantes
Nosso Embraer visto do ônibus
Nova área do aeroporto de Manaus
X-Ray Delta se preparando para outro voo
           Após sair do ônibus fui direcionado à uma escada que dá acesso direto às esteiras de bagagem, localizadas no piso superior, ao lado da sala de embarque. Atualmente em obras, o aeroporto está cheio de tapumes, e há uma divisão, de um lado ficam localizadas as operações da TAM, Copa e American, do outro operações da Azul e GOL, todas separadas também por tapumes. Como estava em seu horário mais movimentado, o número de pessoas no saguão era grande.
Saguão de desembarque, alguns buracos no forro e canos expostos
Os tapumes podem ser vistos no fundo da foto
Este foi o relato de um voo doméstico da Azul, que atualmente é a melhor opção para voar a partir de Belém e Macapá, tanto pelo número de destinos (são mais de 100), quanto pelo serviço prestado aos passageiros. Com certeza espero que suas operações se expandam em ambos os aeroportos.

E é isso, fico por aqui. Este foi o primeiro de muitos Flight Reports que vêm por aí, aguardem novidades. Escolher a Azul é uma decisão acertada. Em nome da equipe do UZ7 agradeço à todos, e bons voos.

3 comentários :

  1. Azul deixa as demais no chão! Não me arrependo de pagar um pouquinho a mais pelo conforto das aeronaves e pelos serviço dos excelentes comissários!!!! A Avianca também é nos moldes da Azul, porém, esta nem tem previsão de começar a voar em Belém

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thiago, realmente. O atendimento da Azul é muito superior às demais companhias aéreas do país, concordo também com você, muita gente está esperando o tão falado voo da Avianca.

      Excluir
  2. http://www.youtube.com/watch?v=FTFEJ-iHvEs

    ResponderExcluir