[FLIGHT REPORT] De Macapá à Brasília sem escalas pela TAM

Caros leitores, no último 16 de fevereiro fiz uma viagem até Santiago do Chile partindo de Macapá. No ato da reserva feita por pontos TAM Fidelidade, verifiquei a possibilidade de voar no mais recente voo inédito da TAM à partir de Macapá: o JJ3529 que decola diretamente para Brasília, onde eu faria conexão para o Galeão e posteriormente Santiago. Passagem marcada, vamos ao que interessa!


O tão esperado dia 16 de fevereiro começou cedo para que pudesse organizar os último detalhes da longa viagem ao Chile que se estenderia até o Perú e à Colômbia. A primeira etapa, a qual narro neste post, seria no voo direto de Macapá até Brasília. Por volta de 12h45 tive a primeira boa surpresa do dia, vi nos céus de Macapá a aproximação do A320 PR-MYF que cumpriu o voo JJ3528 de Brasília até Macapá, e seria o mesmo que faria o voo de regresso até a capital federal. Trata-se do único Airbus A320 da TAM que ostenta pintura alusiva à aliança OneWorld, da qual a companhia aérea brasileira faz parte. Oportunidade ótima para registrar mais uma aeronave diferente por estas bandas.
Em Macapá o dia estava bastante ensolarado, com céu claro e calor. Cheguei no aeroporto por volta das 13h e encontrei uma longa fila no check-in da TAM, porém como já havia o feito, me dirigi à pequena fila de despacho de bagagens, onde não perdi mais que cinco minutos.
Já com as bagagens despachadas até o Galeão e cartão de embarque impresso até o Aeroporto Arturo Merino Benítez, em Santiago, passei rapidamente pelo raio-x e me dirigi à sala de embarque do aeroporto de Macapá, que estava com uma grande quantidade de passageiros por se tratar de horário de pico, onde há voos de TAM, Azul e Gol.
Inciado o embarque por volta das 13h20, rumei para a fila das poltronas de numeração 15 à 29. Em Macapá ainda temos a peculiaridade de não haver pontes de embarque no aeroporto, o que permite o embarque à pé, o que pra quem gosta de ver os aviões de perto, é excelente.

Embarque à pé em Macapá
PR-MYF: Pintura OneWorld
Meu assento neste voo seria o 28F, portanto para facilitar o embarque (e também é claro para passear um pouco mais pelo pátio), embarquei pela porta traseira da aeronave.


Escada na porta dianteira aguardando os passageiros
Embarque pela porta traseira
Finalizado o embarque, tive o pequeno privilégio de ter a a poltrona ao lado vazia, o que dá um pouco mais de conforto, principalmente para pôr câmera, fone de ouvido, celular, objetos de todo viajante.
O comandante (o qual infelizmente não recordo o nome) deu as boas vindas aos passageiros, informou sobre alguns detalhes do voo, como a duração de 02h45 de viagem, o tempo em rota bom até Brasília, que estava com céu encoberto naquele momento. Iniciamos push back e táxi ao mesmo tempo que os comissários davam as instruções de segurança, dentro da normalidade. 
Como eu não estava com o rádio em mãos, não sei dizer a que altitude voamos, aeródromo alternativo, autonomia e POB, mas calculo que algo em torno de 145 a 160 passageiros, um número muito bom, voo quase lotado. 
Seguimos táxi pelo pátio até a taxiway A e cabeceira 08 para backtrack e decolagem.

Backtrack na cabeceira 08
Após cinco minutos de táxi, decolamos às 14h15, com 12 minutos de atraso em relação ao horário original, que foram compensados em voo.


Decolamos com a tradicional curva à direita, um pouco mais acentuada em relação aos voos para Belém, sempre com a bela visão da cidade de Macapá e do majestoso Rio Amazonas:

Bairros do Laguinho, Jesus de Nazaré e Pacoval
Bairro do Perpétuo Socorro "P. Help"
Orla de Macapá e sua imponente fortaleza, às margens do Rio Amazonas
Após 45 minutos de voo, já mais ou menos após Tucuruí, no Pará, foi iniciado o serviço de bordo com uma bandeja de "snacks à bordo" que desanimava qualquer passageiro que ainda não havia almoçado.


O banquete, acompanhado de Coca-Cola, Coca-Cola Zero, suco de laranja (acabou) ou água, era composto por um bolinho de baunilha e chocolate, bolacha cracker "Levíssimo" e um Poleguinho, como vemos na próxima foto:

Serviço de bordo padrão TAM
Recolhido o lixo do serviço de bordo, eu e a maioria dos passageiros ficamos acompanhando as pegadinhas que passavam nas telas de entretenimento da aeronave. Na falta de entretenimento individual, na minha opinião, as pegadinhas acabam sempre sendo a melhor opção. Por toda a aeronave ouvia-se gente gargalhando alto. Ponto pra TAM!

Entretenimento à bordo
Já à altura do estado do Tocantins o voo ganhou um pouco mais de emoção com um pouco de turbulência e desvios. O aviso de atar os cintos foi ligado, porém sem nenhum inconveniente.


Aviso de atar os cintos ligado
Rota no mapa
Exatamente às 16h23 inciamos a descida para o pouso em Brasília, onde já víamos mais nuvens escuras e sentimos um pouco mais de turbulência durante a aproximação.


Chegada em Brasília
Logo, após curva à esquerda, iniciamos a aproximação final para o pouso na pista 11L do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, com chuva nas vizinhanças.




Tocamos o solo da capital federal às 16h40, adiantados em vinto minutos, mesmo com o pequeno atraso na decolagem em Macapá.


Seguimos táxi até o pier sul, onde acoplamos numa das pontes de embarque num dos novos e moderníssimos terminais domésticos do aeroporto de Brasília. 



AVALIAÇÃO FINAL:
Reserva e compra: Tudo pelo site da TAM emitido por pontos Fidelidade. com boas opções de voos, apesar de ter demorado um dia inteiro para chegar à Santiago. Site muito simples e prático: Nota 9
Atendimento e embarque em Macapá: Fila de check-in muito grande devido à estrutura do terminal de Macapá, porém a fila de despacho de bagagens funcionou muito bem. Funcionários cordiais, educados e solícitos. Embarque organizado na medida do possível considerando-se a desorganização e má educação de alguns passageiros. Nota 8
Serviço de bordo: Sinceramente já não esperava muito do serviço de bordo da TAM, que desabou em qualidade nos últimos anos. Porém para um voo de mais de 2 horas e meia de duração, poderia haver um algo à mais, talvez um sanduíche e mais opções de bebida. Nota 6
Entretenimento à bordo: Revista TAM nas Nuvens e vídeos de propagandas e pegadinhas nos monitores. Deu pro gasto, porém dei sorte de ter voado em uma aeronave um pouco mais moderna. Nas aeronaves mais antigas nem sempre os monitores funcionam. Nota 7
Tripulação: Nada a reclamar, serviço no padrão TAM. Todos muito educados e atenciosos com os passageiros. Nota 9
Pontualidade: Pequeno atraso em Macapá e pouso adiantado em Brasília. Nota 10
Atendimento e desembarque em Brasília: Desembarque um pouco demorado por ter sido feito pela ponte, somente pela porta dianteira. Na medida do possível tudo ok, funcionários de solo prestativos. Nota 8
Média: 8,1. Gostei muito do voo. É a melhor opção para quem viaja de Macapá para o Sul, Sudeste e alguns estados do Nordeste. Sem dúvida uma grande economia de tempo, com preços razoavelmente justos para a rota. Indico e voaria de novo!

Em breve mais Flight Reports. Abraços!

0 comentários :

Postar um comentário