Flight Report: De Belém a Lisboa sem escalas pela TAP!

Caros leitores, no início do mês de agosto viajei à Europa, mais precisamente a Valência na Espanha, com conexão em Lisboa, utilizando o serviço sem escalas entre Belém do Pará e a capital portuguesa. Apesar de já ter voado outras tantas vezes com a TAP, este voo seria especial pelo fato de ser a minha primeira vez em um voo internacional saindo de Belém, minha cidade. Por isso, como um dos administradores do UZ7, não poderia deixar a oportunidade passar em branco e a partir de agora vos descrevo um pouco de como foi a experiência de voo.

Companhia: TAP Portugal
Voo: 46
Origem: Aeroporto Internacional de Belém / Val de Cans
Destino: Aeroporto Internacional de Lisboa / Portela / Humberto Delgado
Distância: 3.736 milhas náuticas (aproximadamente 6.920 km)
Aeronave: Airbus A330-223
Matrícula: CS-TOG
Assento: 40A
Hora da decolagem: 19h50 (Brasil) / 23h50 (Portugal) / 00h50 (Espanha)
Hora do pouso: 07h10 (Portugal) / 03h10 (Brasil) / 08h10 (Espanha)
Duração do voo: 07h20

Tudo começou no dia 12 de janeiro deste ano, aniversário de 400 anos de Belém. A TAP lançou uma promoção incrível para celebrar a data: passagens de ida e volta para Lisboa e diversos destinos da Europa por 400 dólares na classe econômica, cerca de 1.600,00 reais à época, uma pechincha! 
Confesso que não tinha planos de viajar, este preço me fez mudar de ideia. Porém, como só soube da promoção na tarde do dia 12, encontrei poucas possibilidades de datas a este preço e acabei pagando um pouco mais caro para as datas que eram convenientes à mim, cerca de R$ 2.400,00 (mais ou menos U$D 600,00), com saída em 2 de agosto e retorno à Belém em 22 de agosto. 
O procedimento de compra foi simples e rápido, o site da TAP é bem funcional, o que facilita a compra sem dificuldade, com diversas formas de pagamento, inclusive com parcelamento no cartão de crédito, opção que escolhi. Uma dica importante a dar é ter em mãos o passaporte na hora da compra, pois o site pede o número do passaporte, bem como a sua validade.
Passagens compradas e seguro viagem feito, era apenas aguardar ansiosamente alguns meses até a viagem. Como moro em Macapá, tive que comprar passagens avulsas até Belém pela Gol na véspera do voo até Lisboa.
Enfim chegou o mês de agosto, na madrugada do dia 2 saí de Macapá até Belém em voo rápido de cerca de 30 minutos, que, como é habitual da maioria dos nossos leitores e pelo foco deste FR ser o voo da TAP, não darei maior atenção, mas valem os registros da aeronave:

Boeing 737-800 da Gol, em Macapá.

Já em Belém, durante o desembarque.
Já passava das 2 horas da manhã quando cheguei em Belém. A partir dali era descansar e se preparar para o longo voo do dia seguinte.
Na terça feira, dia 2, apesar de ter alguns afazeres na cidade, e o voo ter previsão de decolagem apenas para às 19h45, resolvi ir para o aeroporto o mais cedo possível para ver e fotografar um pouco do movimento rotineiro do Val de Cans, principalmente a chegada do Airbus que me levaria até Lisboa. 
Cheguei no aeroporto às 15h50 e me dirigi rapidamente ao check in da TAP, que ainda estava praticamente vazio, com poucos passageiros.




À disposição dos passageiros havia quatro posições de atendimento, sendo uma de prioridades (idosos, gestantes e Star Alliance Gold), uma para classe executiva e duas para todas as classes. 
Apenas aguardei o final do atendimento de uma passageira e em dois minutos já estava sendo atendido pelo funcionário da TAP, que foi muito simpático e atencioso. 
No ato da minha reserva eu havia selecionado pontuar no Smiles da Gol, mas no check in lembrei que iria pontuar no Victória, da própria TAP. Solicitei ao atendente e ele pediu o meu número do programa e eu não lembrava. Ele aguardou pacientemente eu ligar para a TAP e solicitar o número, porém após quase 10 minutos tentando, não consegui falar com o call center, então acabei pontuando mesmo no Smiles.


Check in finalizado, recebi telefonemas dos amigos Leonardo Sarmanho e Felipe Moreira, spotters de Belém, que me convidaram para ir com eles até a cabeceira 06 da pista do aeroporto para fritar a chegada do A330 da TAP. Assim feito, lá fomos nós. Abaixo alguns registros do CS-TOG, aeronave escala para fazer o voo até Belém e voltar à Lisboa naquele 2 de agosto:

 




 De volta ao TPS, mais um registro do TOG, na posição 6, tradicional dos widebodyes:

 

Já se aproximava das 18h, se aproximava o horário do embarque. Com o aeronave em solo, a previsão inicial de partida estava mantida:

Voos programados para a tarde/noite do dia 02/08
Me despedi dos amigos e rumei em direção em embarque internacional, localizado próximo ao terraço panorâmico do aeroporto, no lado esquerdo do mesanino.

Terraço panorâmico do Aeroporto Internacional de Belém
Visão geral do TPS
Adentrei a sala de embarque sem muita demora, apesar dos procedimentos de raio-X estarem mais rígidos, sobretudo em voos internacionais, onde sempre temos que tirar o notebook da bolsa. A alfândega também estava tranquila e sem filas.   
Já na sala de embarque entrei rapidamente na dutyfree da Aldesasa. A free shop é bem pequena e vende principalmente chocolates, brinquedos, perfumes e alguns poucos eletrônicos.


Na área internacional também há uma revistaria Hudson Store:

 
Como ainda faltava cerca de uma hora para o embarque, resolvi lanchar na única lanchonete da área de embarque internacional, a Deltaexpresso, onde comi um pão de queijo e tomei um chocolate quente por dez reais, preço até razoável, se comparado com os outros lanches do lugar. 


O que me chamou a atenção, além de haver uma única lanchonete na área internacional, é o fato de haver também poucas mesas para os passageiros sentarem para comer. Como se não bastasse a pouca quantidade, depois que comem, os passageiros lá ficam até a hora do embarque, inclusive ocupando cadeiras com suas bagagens de mão, não havendo local para todos sentarem para comer. 
Apesar de puto com a situação, tive que pedir educadamente para um casal de passageiros ceder o lugar das suas bagagens, pois não iria lanchar colocando a xícara nas pernas e muito menos em pé. Com educação, tudo se resolve.


Às 19h10, trinta e cinco minutos antes da decolagem, foi iniciado o embarque, primeiramente com as prioridades por lei e passageiros com status nos programas de fidelidade. O restante dos meros mortais, como eu, embarcou em seguida: primeiro os passageiros com poltronas de 26 à 42 (meu caso) e em seguida os passageiros da primeira fileira da econômica até a vigésima fileira nº 25.



Fui o primeiro passageiro sem prioridade a embarcar, na tentativa de tirar fotos da cabine de passageiros sem ninguém na frente durante o caminho para minha poltrona, a 40A, o que quase nunca é possível:

Frente a frente com o TOG




O CS-TOG nos aguardava impecável em relação à limpeza, com sua bonita combinação de poltronas cinza/grafite com cabeçotes em verde, que anunciavam o "Portugal Stopover", novo serviço da TAP que permite stopover em Lisboa.
Falando no avião, o CS-TOG batizado como "Bartolomeu de Gusmão", um Airbus A330-200, que fez seu primeiro voo no ano de 1999, como HB-IQN, na Swiss, e ainda com passagens por Lufthansa e Blue Wings, antes de chegar à TAP, em 2006. A aeronave ainda apresenta a configuração antiga da TAP, sem a modernização de cabine recente que já pode ser vista em algumas aeronaves da companhia portuguesa.
Às 19h41 iniciamos o push back e as 19h47 seguimos o táxi até a cabeceira 06 do Val de Cans:


Com apenas seis minutos de atraso, que foram compensados no pouso, às 19h51 alinhávamos e decolávamos da pista 06, com ligeira curva à esquerda:



Após a decolagem, os avisos de atar cinco permaneceram ligados por quase uma hora devido à turbulência. Ainda assim, alguns passageiros se levantavam, para desespero dos comissários, que pediam para sentarem.
Durante o intervalo de tempo entre a decolagem e o serviço de jantar, duas coisas me chamaram a atenção: o avião não dispunha de tomadas à bordo para a classe econômica e o sistema de entretenimento de todas as poltronas não estava funcionando. 
Às 20h40, já com menos turbulência, os avisos de atar cintos foram desligados e o jantar começou a ser servido. Estranhei o fato de não ser apresentado cardápio, como era feito quando voei com a TAP outras vezes. No entanto, a tripulação primeiramente perguntou por passageiros vegetarianos à bordo e em seguida saiu distribuindo o jantar, dando como opções caçarola de carne com purê ou filhote com arroz branco. Optei pela primeira opção:


A caçarola nada mais era que uma carne guisada com purê e abóbora, acompanhada de pão, um prato com peru desfiado e outro com salada e como sobremesa um pequeno pudim. Para beber as opções eram água, suco, refrigerante, vinho tinto e vinho branco. Fiquei com a água. Sou suspeito pra falar pelo fato de na hora estar com muita fome, mas o jantar estava muito saboroso.
Para jantar, tentei voltar a reclinação da poltrona para a posição vertical, mas não conseguia. Ela insistia em deitar. Tive que contar com a ajuda de um passageiro da poltrona de trás para empurrar um pouco para a frente.
Após o jantar, as bandejas foram recolhidas e foi servido chá e café, no momento em que a turbulência voltava um pouco mais forte que na decolagem, porém sem maiores problemas. Desta vez todos os passageiros permaneceram sentados e, para alegria geral de todos, o sistema de entretenimento começou a funcionar:




As telas de entretenimento individual eram bastante antigas, com imagem de qualidade ruim, como se poder perceber nas imagens. Como falei antes, este avião ainda não foi modernizado, nos aviões já reformados o sistema é bem melhor. 
Como opções de entretenimento tínhamos um canal de notícias, um canal de desenhos animados, três canais de filmes e o mapa que se alternava com as informações de voo. Optei pelo mapa durante todo o voo.
Por volta das 22h a tripulação iniciou o serviço de dutyfree, a venda de produtos à bordo. Nos bolsões de cada poltrona há uma revista com os produtos disponíveis. Vou ficar devendo fotos para o voo da volta.
Após o dutyfree, por volta das 22h30, quando voávamos a 39 mil pés, quase 12 mil metros de altura, a 477 nós, equivalentes a 885 km/h, as luzes da cabine foram desligadas para descanso dos passageiros. 
Fiquei acordado por um tempo e me agoniava o fato de não haver tomadas no avião. Lembrei que poderia existir alguma nos banheiros, e realmente tinha!


Fiquei no banheiro por cerca de 20 minutos carregando o celular. Os passageiros que perceberam o tempo que fiquei lá devem ter achado isso estranho. Percebi caras feias na fila do banheiro quando saí, hehe. 
Com um pouco mais de bateria, que teria de ser economizada, voltei para o meu lugar e resolvi dormir. Daí em diante, se houve turbulência, eu não percebi. 
Acordei às 05h15 horário local do Atlântico Norte,  02h15 em Belém e 06h15 em Lisboa. O café da manhã começava a ser servido, mas eu estava com tanto sono que não quis. Acabei nem vendo e ouvindo o que foi servido. 
Após mais um cochilo, com as bandejas sendo recolhidas, fui novamente até o banheiro carregar um pouco mais o celular e levar o rosto. No caminho, observei uma poltrona na janela livre na segunda fileira da classe econômica, mas no lado direito da aeronave. Fui pra lá e permaneci nela até o pouso, podendo apreciar um amanhecer esplendoroso sobre o oceano!



Por volta das 07h da manhã, já no horário de Lisboa (03h em Belém), com tempo muito bom, avistamos o continente europeu, iniciando descida até o pouso em Lisboa, que aconteceu sob aplausos dos passageiros às 07h10 minutos locais:





Após o pouso, livramos a pista e aguardamos em uma taxiway por cerca de 15 minutos. Imagino eu que não havia gates disponíveis para acoplarmos. Às 07h35 seguimos táxi e acoplamos na ponte de embarque, para enfim ser iniciado o desembarque:

"Irmãos" do CS-TOG, em Lisboa
Desembarque
Descanso do guerreiro após uma longa jornada
Como minha conexão para Valência era curta, tive que desembarcar o mais rápido possível para fazer a imigração e seguir para o embarque do voo 1096.

Companhia: TAP Portugal Express
Voo:1096
Origem: Aeroporto Internacional de Lisboa / Portela / Humberto Delgado
Destino: Aeroporto Internacional de Valencia / Manises
Distância: 467 milhas náuticas (aproximadamente 864 km)
Aeronave: ATR 72-600
Matrícula: CS-DJF
Assento:18D
Hora da decolagem: 08h40 (Portugal) / 07h40 (Espanha) / 04h40 (Brasil)
Hora do pouso: 11h20 (Espanha) / 10h20 (Portugal) / 06h20 (Brasil)
Duração do voo: 01h40



O A330 parou em uma das últimas posições do aeroporto, com isso segui pelo extenso corredor de desembarque até a imigração, numa caminhada de mais de 10 minutos.
Chegando na imigração, uma ingrata surpresa: A fila estava quilométrica, o que certamente faria eu perder o próximo voo. No início da manhã começam a chegar os voos vindo do Brasil, o que torna a imigração um teste de paciência.
 
Fila da imigração no horário de pico.
Encontrei uma funcionária da TAP e expliquei a situação. Ela prontamente me colocou em uma outra fila, própria para estes casos, com passageiros em conexões super apertadas.
Imigração feita, sem nenhuma pergunta por parte do funcionário, segui meu caminho atrás da moça da TAP.  Quando percebi, a funcionária já estava comigo e mais cinco passageiros a seguindo, também com conexões rápidas. Chegamos na fila do raio-X, ela novamente nos colocou em   prioridade.


Fila do raio-X também muito grande.
Funcionária da TAP auxiliando nas conexões.
Após mais 10 minutos andando, sem tempo para tirar fotos e sequer parar nas lojas dutyfree do Aeroporto de Lisboa, cheguei no portão de embarque, que acabara de iniciar. Descemos até o térreo para embarcar num ônibus que nos levaria ao avião.
O caminho até o avião foi longo, de quase 10 minutos, muito bom pra ver o movimento do aeroporto bem de pertinho.

Airbus, Embraer e Fokker: parte da frota da TAP.


Às 08h20 de Lisboa desembarcávamos do ônibus e embarcávamos no avião, um ATR 72-600, de matrícula CS-DJH, novinho em folha. O DJH foi entregue à TAP em junho deste ano e é operado pela White.






Como nos ATR o embarque é pela porta traseira, logo cheguei na minha poltrona, a 18D, a última janela do lado direito. 
Iniciamos táxi e às 08h40 já estávamos alinhando e decolando de Lisboa com proa Leste, em direção à Valencia:





Ao som encantador dos motores do ATR, foi iniciado o serviço de bordo meia hora após a decolagem: um pão integral, com queijo, presunto e alface, que não estava muito bom e não consegui comer tudo.
Após o serviço de bordo, o cansaço bateu e eu apaguei. Só acordei na aproximação para o pouso em Valencia, às 11h20, horário local:



Desembarcamos em Valencia e seguimos a pé até o terminal. Mais uma vez vou ficar devendo fotos, mas compensarei na viagem de retorno.


Como segundo voo era intra-Europa, não é necessário fazer nova imigração, então fui direto para a esteira de bagagens aguardar a minha mala e lá tive uma ingrata surpresa: a mala não veio!
Abri um chamado no setor de bagagens da Swissport, que é responsável por atender a TAP e fui informado que mala havia ficado em Lisboa e que chegaria à Valencia no dia seguinte e assim foi feito. Fiquei apenas um dia sem minha mala.


Reserva e compra: Feita pelo site da TAP, muito prático, rápido e com excelente sistema de busca de voos: Nota 10
Atendimento, embarque e desembarque: Atendimento impecável por todos os funcionários de solo da TAP, tanto no Brasil  quanto e em Portugal, e até mesmo pela funcionária da Swissport, na Espanha. Embarques rápidos, bem organizados . Nota 9.
Avião: Já são 17 anos de uso, apresenta alguns sinais do tempo, apesar de estar bem limpo. Nota 7.
Serviço de bordo: De Belém à Lisboa, ok para um voo internacional. De Lisboa à Valencia, deixou a desejar. Nota 6
Entretenimento à bordo: Considerando apenas o voo no A330, os sistemas de entretenimento demoraram bastante para funcionar. Quando funcionou, tinha poucas opções de canais e o monitor individual é extremamente antigo. Nota 6.
Tripulação: Impecável.  Todos muito gentis e educados. Nota 10.
Pontualidade: Pequeno atraso nas decolagens em Belém e Lisboa, mas nada que comprometesse os voos. Chegadas no horário. Nota 10
Média: 8,2. Gostei muito do voar direto entre Belém e a Europa, evitando o backtrack desgastante em Guarulhos, em Brasília ou no Nordeste. A TAP veio para Belém para ficar, com um serviço muito justo e bons preços. Espero fazer este voo mais vezes!

E em breve, a parte dois do flight report, com a volta à Belém!
Abraços a todos.

2 comentários :